Novas técnicas para sistemas de drenagem urbana
Tempo de leitura: 6 minutos

O artigo de hoje vai falar de sistemas de drenagem urbana. O que será que o setor de saneamento tem desenvolvido nessa área?

Nos acompanhe nos seguintes assuntos:

  • A situação atual dos sistemas de drenagem urbana
  • Novas técnicas para sistemas de drenagem urbana
    • Jardins de Chuva
    • Pavimentos Drenantes
    • Reservatórios para retenção de água
  • Gestão de sistemas de drenagem urbana

A situação atual dos sistemas de drenagem urbana

As mudanças ao longo dos anos no que diz respeito a recursos hídricos chamam cada vez mais atenção.

Seja pela falta de água ou pelas inundações ocorridas em várias cidades ao redor do mundo. Situação essa que tem apresentado atenuantes em magnitude e frequência.

Calçada permeável - sistema de drenagem urbana

O maior indicativo que os sistemas de drenagem urbana no Brasil são insuficientes é a ocorrência de inundações. Fator que expõe a necessidade de se atentar a integração de sistemas relacionados à água, solo e meio ambiente.

Tanto especialistas quanto governantes concordam que é necessário recompor o ciclo hidrológico natural.

Uma prática que tem se tornado comum nas discussões internacionais é a Drenagem Urbana Sustentável. Essa visão compreende o problema de falta de drenagem como intimamente ligado a questão da urbanização.

O cerne dessa questão é que a urbanização impermeabiliza o solo, impedindo o ciclo da água, acumulando-a no solo e causando sérios estragos.

O passar dos anos trouxe as famílias do campo para a cidades, o que forçou sua expansão acelerada, e fez com que os projetos de drenagem fossem corretivos e não preventivos.

Muitas vezes, essa ocupação e impermeabilização do solo é irregular, fato normalmente acompanhado da falta de um plano diretor nos municípios.

Esse tipo de planejamento compreende uma previsão da expansão urbana e obras necessárias para manter os ciclos hidrológicos sob controle. O que evita a maior parte dos prejuízos a população em eventos catastróficos.

Outras situações também são advindas da expansão irregular. O assoreamento de rios por utilização de suas margens para construção é um exemplo.

Novas técnicas para sistemas de drenagem urbana

Para tentar resolver a situação atual dos sistemas de drenagem urbana, busca-se de várias formas drenar as águas da chuva ou conduzí-la de uma maneira mais eficiente de volta aos corpos hídricos.

A seguir vamos elencar algumas dessas técnicas e seu modo de aplicação.

Jardins de Chuva

Os Jardins de Chuva ou Sistema de Biorretenção têm a finalidade de remover impurezas da água nos sistemas de drenagem.

Essas estruturas rasas recebem a água do escoamento superficial e infiltram-na gradualmente no solo ou a captam por um dreno para seguir pelo sistema de drenagem comum.

Entre as vantagens de utilização estão a contribuição para a beleza paisagística da rua, a remoção eficiente de sedimentos finos, redução de inundações e melhora da qualidade da água dispersada pelo local. Veja um exemplo de obra:Jardim Filtrante - sistemas de drenagem urbana

É necessário se atentar para a não utilização em áreas de grande fluxo de água, preferindo por exemplo bairros residenciais, ou de pouco tráfego. É recomendável locais de grandes calçadas, devido a redução da área da mesma.

Deve ser feito um projeto técnico para implantação do Jardim de Chuva. As licenças mínimas necessárias são ambientais, do órgão responsável pelo tráfego para interdição e autorização do proprietário do lote.

Pavimentos Drenantes

Atualmente no Brasil, o sistema para pavimentação asfáltica mais utilizado é o Concreto Betuminoso Usinado a Quente, o CBUQ.  O material e o modo de operação tem por objetivo mantê-lo resistente a variações externas.

Os vazios que existe dentro do mesmo são apenas relativos ao controle de temperatura sendo, portanto, impermeável.

O crescimento do setor propôs a evolução desses revestimentos para Pavimentos Drenantes. O principal objetivo aqui é evitar a aquaplanagem por meio da drenagem da água em excesso no asfalto.

O fenômeno da aquaplanagem é identificado como falta de aderência do pneu ao chão. Esse tipo de acontecimento pode causar graves acidentes pela perda de controle de direção.

Pavimento drenante - sistema de drenagem urbana

A região de São Bernardo dos Campos teve de instalar esse tipo de asfalto devido a uma uma lei que só permitia a utilização de Pavimentos Drenantes em áreas de mananciais.

Foram feitos testes do solo para análise de sustentação do material, a chamada granulometria, e implantados os Pavimentos Drenantes.

Os resultados foram muito bons pela grande absorção de água, porém esse caso deixa alguns alertas.

Recomenda-se utilizar tal técnica em locais de alto fluxo de veículos e deixar os locais com menos fluxo com as sarjetas e bocas de lobo. O uso em locais inadequados gera custos e pode não servir para o objetivo de evitar a aquaplanagem.

Reservatórios para retenção de água

A técnica de retenção da água da chuva em reservatórios não é exatamente nova, mas atualmente tem sido empregada com maior frequência.

Os chamados piscinões vêm desde a década de 1990, como solução para reduzir enchentes e inundações.

Em lugares de alta densidade populacional não se pode aumentar o suficiente as estruturas de drenagem, e onde justamente os piscinões são implantados  para controle do volume das chuvas, segundo considera o engenheiro Marcelo Gomes Miguez, professor dos Programas de Engenharia Ambiental e de Engenharia Urbana da Escola Politécnica da UFRJ.

Piscinões - sistema de drenagem urbana

Segundo Gomes, é necessário uma estrutura robusta para lidar com os resíduos sólidos vindos na água da chuva, que acabam por acumular no interior do reservatório. Esse fator exige manutenção constante e acessos adequados para caminhões de grande porte.

Em fevereiro de 2017 foi entregue o piscinão Guamiranga na capital de São Paulo. A estrutura comporta 850 mil m³ de água, sendo a maior do estado. O reservatório levou 5 anos para ser construído e precisou de aportes de 160 milhões de reais.

Construído pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), o projeto minimiza o risco de inundações nos bairros da Vila Prudente e Mooca.

Foi necessário, de modo singular, um trabalho no local de descontaminação do solo, por haver um parque industrial no local na década de 1950.

O piscinão em questão é formado por células de captação, reserva e escoamento, além das comportas e seis bombas de recalque.

Gestão de sistemas de drenagem urbana

Administrar os sistemas de drenagem urbana da cidade como um todo se faz necessário. Conforme aumenta a demanda populacional urbana é requerido mais do solo, ar e recursos hídricos.

Uma gestão eficiente deve contar com mecanismos apropriados como: Os comitês de bacias hidrográficas e suas agências executivas, e as agências reguladoras de serviços públicos.

Essas ações irão promover um ordenamento territorial e de precedência sobre os usos da água. Dessa forma, é possível controlar os impactos sobre os mananciais, impedindo a transferência de danos para o meio ambiente e para a população, consequentemente.

Para compreender melhor, são elencadas medidas que dependem de obras de drenagem (estruturais) e outras que dependem de ações pontuais de efeito e execução a longo prazo, mas que são essenciais para que o todo funcione.

Medidas para sistemas de drenagem urbana

Neste link tem um artigo bem completo que fala de algumas tecnologias para drenagem, mas considera justamente o fator gestão interligada como apropriada para lidar com os problemas advindos das chuvas.

Agora que você já sabe quais técnicas devem ser aplicadas na gestão dos sistemas de drenagem urbana, consegue identificar alguma na sua cidade? São adotadas medidas não estruturais ou apenas medidas tentando corrigir a falta de planejamento da cidade?

Em caso de dúvidas você já sabe! Fale com um de nossos especialistas! A EOS tem a solução perfeita para você.

 

Dúvidas? Fale com um Especialista!

Temos um time de especialistas pronto para tirar suas dúvidas e
encontrar a solução ideal para a sua empresa.

Fale com um especialista
Grátis e sem compromisso