Marco legal do saneamento é aprovado pelo senado
  • +55 (67) 3321-2898
  •   Agendar demonstração
  •   Solicitar orçamento

Postado em: 25/06/2020

Tempo de leitura: 2 minutos

Foi aprovado nesta quarta-feira (24/06) o novo marco legal do saneamento básico pelo Senado com 65 votos a favor e 13 votos contrários. O texto, que não foi alterado pela Câmara de Deputados, aguarda apenas a sanção do presidente da República.

Um dos objetivos é extinguir os Contratos de Programa, que permitem prefeituras e estados executar serviços de saneamento sem licitação. O foco da mudança é possibilitar a universalização dos serviços até 2033, dividindo responsabilidades entre entes públicos e privados.

Essa universalização em resumo, seria alcançar cerca de 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água e 100 milhões não tem acesso à coleta e tratamento de esgoto.

O momento também é propício para a aprovação, devido a possibilidade de gerar 1 milhão de novos empregos. 

O que muda com o novo marco legal?

 Traz mudanças nas competências da ANA (Agência Nacional de Águas) que deve centralizar a regulamentação do setor, auxiliada pelas agências estaduais. Segundo especialistas, isso deve ter efeito positivo na segurança jurídica dos processos, já que atualmente 52 entidades dividem essa função.

O projeto prevê que possam ser feitas parcerias entre estados e municípios para contratação de serviços, porém a adesão ao bloco não será obrigatória. Portanto, um município pode licitar de forma individual, dentro de suas necessidades e condições econômicas.

O novo marco legal altera a Política Nacional de Resíduos Sólidos, prorrogando o fim dos lixões para 2024, variando os prazos de acordo com o tamanho da cidade. O prazo anterior para a implementação seria até o final de 2020.

lixão-marco-legal

Investimentos

De acordo com o senador Tasso Jereissati, relator do projeto, a estimativa para a universalização do saneamento básico no Brasil é de 700 bilhões de reais. 

Segundo o economista Christian Borja-Vega, o projeto traz inovações positivas para um problema que vem assolando os brasileiros há anos. Mas para ele não basta apenas a privatização, mas a qualidade da implementação do serviço. Onde o governo federal tem prerrogativa de análise por meio da ANA.

Saúde

Em meio à pandemia do novo coronavírus muitos problemas relacionados à falta de água ficaram evidentes. O acesso a água nesse período é essencial. Entretanto, muitos brasileiros não o tem e convivem diariamente com riscos à saúde.

Com a universalização do saneamento básico, doenças infecciosas e parasitárias provenientes do esgoto e água contaminada, diminuirão drasticamente. As regiões mais beneficiadas devem ser o Norte e o Nordeste.

Abaixo temos o vídeo da sessão deliberativa na íntegra:

Você já conhece o marco legal do saneamento básico? O acha das melhorias que essa lei propõe? Fale com um especialista, nós temos a solução para você!

Dúvidas? Fale com um Especialista!

Temos um time de especialistas pronto para tirar suas dúvidas e
encontrar a solução ideal para a sua empresa.

Fale com um especialista
Grátis e sem compromisso