Consumo e desperdício de água: A situação no Brasil
  • +55 (67) 3321-2898
  •   Agendar demonstração
  •   Solicitar orçamento

Postado em: 21/06/2017

Última modificação: 13/03/2019

Tempo de leitura: 5 minutos

Olá leitor! Você conhece a atual situação do consumo e desperdício de água no Brasil? Sabe como grande parte da água distribuída é desperdiçada? No texto de hoje você irá aprender sobre os setores que mais demandam água e as formas de reduzir o desperdício.

É fato que ultimamente as campanhas de conscientização sobre a importância da água e consumo responsável cresceram significativamente. O aumento dessas ações é em razão do elevado consumo e desperdício que vem sendo discutida há anos.

Em tempos de escassez, é fundamental a discussão de planos alternativos, e principalmente eficazes, de redução do consumo e desperdício da água. O intuito é minimizar as consequências da crise hídrica que o país enfrenta já há alguns anos.

De cada 100 litros de água tratada no Brasil, somente 63 litros são consumidos e os 37 restantes são perdidos. As perdas ocorrem devido à vazamento, ligações irregulares, falta de medição ou medição incorreta e roubos.

A média de consumo diário que a ONU recomenda é 110 litros por habitante/dia. Estudos apontam que essa quantidade é suficiente para suprir as necessidades básicas de uma pessoa. Porém não é isso que acontece, segundo dados do Instituto Trata Brasil o consumo médio brasileiro é de 166,3 litros por habitante/dia. O que fica 51% acima do recomendado.

Além desse fato, vou lhe apresentar os líderes em consumo e desperdício de água no Brasil. O gráfico abaixo mostra os setores e a porcentagem demandada de cada um.

consumo e desperdício de água

SETORES CAMPEÕES DE CONSUMO E DESPERDÍCIO DE ÁGUA

  • A AGRICULTURA

De acordo com o relatório de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil, da Agência Nacional de Águas (ANA), a atividade agrícola é responsável pelo uso de 72% dos recursos hídricos utilizados no Brasil. Grande parte dessa água é utilizada na irrigação para a manutenção da produção agrícola e pecuária.

De fato, a água é a base para esse sistema de produção. É importante ressaltar que o agronegócio é responsável por 30% do PIB brasileiro e afeta diretamente a economia do país.

Água para agricultura

Neste setor existe uma preocupação que caminha com o consumo e desperdício de água. Hoje, quase 50% do volume de água utilizado na irrigação das plantações são perdidos pelo fenômeno da evaporação. Além disso, anda ocorrendo a contaminação da água em lençóis por meio de agrotóxicos e outros produtos que afetam o padrão de qualidade desse bem precioso.

O maior desafio da agricultura na atualidade é aumentar a produção de alimentos sem aumentar os impactos negativos ao meio ambiente. Estudos e pesquisas apontam algumas medidas e ferramentas que podem reduzir o consumo e desperdício de água neste setor.

Segundo um levantamento realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais, um bom planejamento obtendo informações precisas sobre o clima e o solo da região, auxilia na definição da quantidade e o momento exato para irrigar. Este, é o primeiro passo para práticas de sucesso na gestão desse recurso valioso.

Uma alternativa tecnológica que pode auxiliar é o sensor de solo. Conforme estudos da EMATER este equipamento pode reduzir em até 20% o consumo de água.

  • A INDÚSTRIA

De acordo com o relatório da ANA, em termos de consumo, as indústrias consomem 7% da vazão consumida no Brasil. Isso equivale a 1161 metros cúbicos por segundo.

O setor somente retira menos água do que a agricultura e o uso urbano, evidenciando o potencial de crescimento da indústria brasileira frente a outros países.

Mesmo assim, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços firmaram um acordo de cooperação, com vigência de dois anos, com o objetivo de incentivar o uso eficiente da água.

Essas instituições estão dispostas a criar uma agenda que contribua para redução dos problemas que a sociedade e o setor industrial enfrentam devido à escassez desse bem. A agenda prevê uma série de medidas que buscam minimizar as consequências do desperdício neste setor. Entre elas estão: o uso racional e reuso da água, compartilhamento de dados, informações e a elaboração de estudos. Ademais, capacitação e treinamento do pessoal que atua neste ramo.

  • O USO URBANO

O abastecimento urbano é responsável por 9% do consumo de água no país. O volume populacional cresceu, e consequentemente, a demanda de consumo e o desperdício de água também.Planejamento urbano e saneamento básico: qual a relação?

Os brasileiros ainda mantêm hábitos que contribuem para uma má gestão dos recursos hídricos existentes. Esses costumes agravam a situação da escassez. Podemos citar como exemplo: torneira mal fechada, o banho demasiadamente demorado, mangueira ligada sem uso, a lavagem de calçadas, limpeza excessiva nos carros, escovar os dentes com a torneira aberta, etc.

CONSEQUÊNCIAS DO DESPERDÍCIO

Tivemos acima uma noção do consumo de água do país e quais setores que consomem maior parte desse recurso. Vou destacar agora algumas consequências do desperdício de água que ocorre no país.

São Paulo e Minas Gerais já sofrem com o racionamento de água. Em São Paulo, por exemplo, o governo discutiu como medida emergencial, devido também ao período de seca, um rodízio de abastecimento. Neste plano, ocorre o corte de abastecimento durante 4 dias alternados e 2 dias com distribuição normal.

Mesmo com alertas e a falta de água em alguns municípios, algumas pessoas ainda desperdiçam água. Justificando o mal uso por estarem pagando pelo uso desse recurso. É importante destacar que a água é essencial para quase todas atividades de sobrevivência humana, animal e plantas.

A falta deste bem valioso afeta a produção de alimentos, a produção de energia e outros bens necessários para o conforto atual. Além disso, o pagamento pelo uso da água é previsto em lei e não pode ser utilizado como razão do desperdício.

Outro fator relevante é a situação do sistema de abastecimento e distribuição no Brasil. Muitas redes são extremamente precárias e mal planejadas. Segundo um estudo da ANA, 55 % dos municípios, que respondem por 73% do consumo de água do país, precisam de investimentos prioritários no total de R$ 22,2 bilhões.

Esse investimento seria fundamental para evitar um déficit e garantir abastecimento até 2025. Com investimento de reestruturação e sustentabilidade, os problemas enfrentados se resolveriam proporcionando qualidade de vida, desenvolvimento econômico e reduzindo prejuízos bilionários.

E o que você pensa sobre o consumo de água no Brasil? Há muito desperdício em sua casa ou em sua empresa? Queremos ouvir sua opinião: fale com um de nossos especialistas!

Dúvidas? Fale com um Especialista!

Temos um time de especialistas pronto para tirar suas dúvidas e
encontrar a solução ideal para a sua empresa.

Fale com um especialista
Grátis e sem compromisso