Saiba como é feita a classificação de resíduos sólidos
  • +55 (67) 3321-2898
  •   Agendar demonstração
  •   Solicitar orçamento

Postado em: 29/09/2020

Tempo de leitura: 6 minutos

Você sabe o que são os resíduos sólidos? Sabe a destinação correta do lixo que produzimos?  Após a coleta do lixo de nossas casas, você sabe o que feito depois? No artigo de hoje vamos te contar como são classificados esses materiais e qual a importância de sua classificação. 

Fique conosco para conhecer a classificação dos resíduos sólidos.

Abordaremos os seguintes assuntos:

  • Caracterização
  • Classificação dos resíduos sólidos
    • Outras classificações
  • Laudo
  • Destinação

Sabemos que os resíduos sólidos são, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, todo material, substância, objeto ou bem descartado proveniente de atividades humanas, sejam elas domésticas ou industriais.

Atualmente, podemos perceber que os lixos domésticos produzidos estão cada vez menos orgânicos e cada vez mais perigosos, considerando seu descarte inadequado, pode ser causador de diversos problemas de saúde pública e danos ao meio ambiente.

No Brasil, em 2018 cerca de 79 milhões de toneladas de lixo doméstico foram geradas, destas, 72,7 milhões foram coletadas (92%), porém, 6,3 milhões não foram coletados e tiveram uma destinação inadequada.

A maioria dos resíduos domésticos vão para os lixões, onde não passam por nenhum tratamento e possibilidade de serem reciclados são deixados para poluir e até mesmo contaminar o solo e o ar e as pessoas que trabalham com a coleta desses materiais. 

Caracterização

Em 2004 foi aprovada a norma ABNT NBR 10004:2004, cujo propósito é reger a classificação de acordo com as características físicas, químicas, qualitativas e quantitativas para a definição da destinação adequada para cada classe dos resíduos sólidos

Veja a seguir como é o processo de caracterização:

Descrição detalhada:

  • Cor
  • Estado físico
  • Odor
  • Aspectos gerais

Denominação com base:

  • Estado físico
  • Origem
  • Atividade industrial
  • Componente principal
  • Destinação

Destinação:

  • Aterro para resíduo perigoso
  • Aterro sanitário (não perigoso)
  • Aterro de resíduo inerte (solubilidade)
  • Tratamento térmico (compostagem, incineração, co-processamento)

destinação classificação

Após esse processo, temos a classificação que envolve as características citadas acima juntamente com seu processo de origem (atividade que o gerou) e seus possíveis impactos. 

Classificação de resíduos sólidos

A classificação dos resíduos sólidos envolve a identificação do processo de origem do material e através desses dados, ela fica responsável por definir o local de destino correto para resíduos que se apresentem prejudiciais ou não à saúde pública e ao meio ambiente. 

Há três grupos de classificação, são eles:

Resíduos Perigosos (Classe I) — São caracterizados como possíveis causadores de danos ao serem manipulados ou entrando em contato com outro resíduo. São considerados nessa classe os materiais inflamáveis, tóxicos, corrosivos, reatividade e poluentes. Entre eles estão: lubrificantes, serragem, graxa, pneus, materiais com resquícios de produtos químicos entre outros.

Resíduos não perigosos não inertes (Classe II-A) — São resíduos que apresentam características de biodegradação, combustibilidade e solubilidade em água. Porém, precisam de atenção especial em relação ao seu descarte, pois podem apresentar os mesmo riscos que os materiais de Classe I, mesmo não contendo os mesmos componentes. Entre eles estão: restos de madeira, materiais têxteis, resíduos orgânicos e fibras de vidro.

Resíduos não perigosos inertes (Classe II-B) —  Materiais que não oferecem riscos ao meio ambiente e saúde pública e não são biodegradáveis ou solúveis e não há qualquer alteração em sua composição conforme o tempo, se encaixam nessa classe de resíduos. Exemplos: entulhos, sucata de ferro e aço, plástico e latas de alumínio.

Outras classificações

Porém, além dessa, há outras classificações quanto à origem dos resíduos. São elas: resíduos hospitalares (agulhas, luvas, máscaras e afins), agrícolas (embalagens de agrotóxicos, leite excedente), industriais (produtos químicos, metais, solventes, entre outros), comerciais (embalagens de plásticos, papelões, papéis e restos de alimentos), construção civil (tijolos, restos de madeira, canos), domésticos (lixo orgânico) e também os recicláveis (alumínio, vidro, plástico) e não recicláveis (fotografias, papéis engordurados e fraldas). 

Classificação 3

Laudo

O laudo de classificação de resíduos sólidos é um documento cujas informações são baseadas no processo produtivo. Deve constar a indicação de origem, descrição de processos de separação e segmentação além do critério adotado para os aspectos analisados e inclusão de laudos laboratoriais. Demais dados poderão ser exigidos pelo Órgão de Controle Ambiental, para avaliar o real potencial de risco que esse resíduo pode oferecer. 

Portanto apenas especialistas podem definir o local de descarte e os cuidados desde o manuseio, processos de embalagem e transporte do material, exigindo total atenção principalmente se ele for Classe I.

Destinação

Em 2008, cerca de 29,5 milhões de toneladas de lixo são despejadas em aterros sanitários, sem proteção alguma à saúde das pessoas e ao meio ambiente, pois não contam com conjuntos de medidas de prevenção e segurança. 

A destinação dos resíduos é a última etapa desse processo, onde o material de cada classe segue para seu destino. A destinação correta juntamente com medidas de segurança nesses locais é necessária para que sejam evitados seus efeitos negativos. 

Você sabe como destinar esses materiais?

Para o descarte, há normas regulamentadoras específicas, pois o gerenciamento nesse estágio é fundamental para garantir a segurança.

 As normas específicas são:

  • ABNT NBR 13896/97 – Aterros de resíduos não perigosos classe IIA e IIB – Critérios para projeto, implantação e operação;
  • ABNT NBR 10157/87 – Aterros de resíduos perigosos – Critérios para projeto, construção e operação.

Classe I: Os materiais considerados perigosos, precisam ter um tratamento especial com os processos de embalagem, transporte, identificação do veículo sobre o material transportado e a destinação. Para esses resíduos, podem ser utilizados os aterros para resíduos perigosos, conhecidos como aterro industrial Classe I. De acordo com o tipo de resíduo, pode ocorrer: solidificação, estabilização, encapsulamento ou neutralização, para então serem enterrados.

Classe II-A e II-B: Podem ser incinerados ou reciclados e podem também passar por outros tratamentos antes da disposição final, ou seja, o que não for aproveitado, é descartado em aterros sanitários (onde são descartados lixo doméstico vindo das coletas de lixo). Para evitar danos aos lençóis freáticos, o aterro é impermeabilizado para a coleta.

Conhecer os processos de gerenciamento e classificação dos resíduos sólidos é importante para saber onde é despejado nosso lixo e se ocorre algum tratamento para que ele seja reaproveitado e o que ocorre com os resíduos perigosos nos aterros para que não venham contaminar o solo. 

Em sua cidade os resíduos também são classificados, a destinação é feita da maneira correta? Dúvidas você já sabe, fale com um especialista, nós temos a solução para você!

Dúvidas? Fale com um Especialista!

Temos um time de especialistas pronto para tirar suas dúvidas e
encontrar a solução ideal para a sua empresa.

Fale com um especialista
Grátis e sem compromisso