Água sustentável: Como manter um bem tão precioso? -
Tempo de leitura: 7 minutos

O tema de hoje é água sustentável. Será que o modo de tratar os recursos hídricos do nosso planeta visa sustentabilidade? É o que vamos descobrir!

Vamos falar dos seguintes assuntos:

  • O uso da água pelo mundo
    • As indústrias e a água sustentável
  • Água sustentável: Como manter um bem tão precioso?
    • Águas de reúso
    • Dessalinização
    • Captação de água da chuva

Quando o assunto é água sustentável, devemos ter em mente no mínimo dois princípios.

O primeiro deles é que a água é um recurso finito e vulnerável, que tem se tornado cada vez mais escasso e disputado.

E o segundo é que a água pode e deveria ser reutilizada, reciclada e corretamente tratada a fim de evitar maiores prejuízos ao meio ambiente, e posterior escassez ou inacessibilidade para muitos.

Dessa forma devemos compreender o contexto de utilização dos corpos hídricos ao redor do mundo. E ainda, quais as maneiras disponíveis para lidar com um bem responsável por manter a vida em nosso planeta.

O uso da água pelo mundo

Somente em tempos de escassez é que o assunto de preservação da água vem a tona. A água que é um elemento fundamental para a vida, tendo impacto desde a criação até o desenvolvimento de uma cidade.

Água no desenvolvimento das cidades

A preciosidade desse líquido não inibe a ação poluente do ser humano que constantemente a utiliza de maneira descabida. Fatores que ocasionam alterações em ciclos, volumes, composição e obtenção deste recurso, fora as que já são próprias da natureza.

Segundo os especialistas em recursos hídricos a crise da água é um cenário esperado, visto os estágios hídricos. É dito que ciclos do planeta alternam entre secas e chuvas a cada 30 anos, e como a demanda não se altera da mesma forma, são exigidos novos hábitos para evitar a escassez.

O ideal seria reduzir o consumo de água. Estados brasileiros como São Paulo tem um consumo médio diário de 190 litros per capita. A mesma análise em alguns países Europeus revela a média de 60 litros por pessoa apenas, devido a indisponibilidade hídrica.

A boa notícia é que além novos hábitos, há tecnologias podem ser empregadas, para chegar ao ponto de água sustentável.

As indústrias e a água sustentável

A agricultura é a primeira da lista mundial em gastos com água, seguida pela indústria. Fator que coloca ambas na busca de uso hídrico sustentável, visto que a água faz parte de sua subsistência.

Empresas como a Ford já têm implantado sistemas de reúso da água resultante de seus processos produtivos. Montadoras da empresa na África do Sul, Índia e China além de outras seis localidades seguirão o mesmo exemplo.

No Chile, por exemplo, empresas de mineralização vão implantar sistemas de dessalinização da água do mar. E por outro lado a Coca Cola teve que fechar uma de suas fábricas na Índia por falta de água. Onde essa dianteira revela ser importante até mesmo em questões estratégicas para a empresa.

Segundo a Global Water Intelligence, nos anos de 2013 á 2015 centenas de empresas investiram 84 milhões de dólares em sistemas de captação, conservação e manejo de água nos continentes. As pesquisas da empresa afirmam também que na metade deste século a água pode desaparecer de vários lugares no mundo.

Água sustentável na indústria

Tecnologia e reúso permite economia do consumo de água em montadoras

Enfim, a necessidade de preservação engloba vários fatores que iniciam pequenos como jogar lixo em local inadequado, e culminam na falta de água para toda uma cidade ou região. Nos levando a perceber a responsabilidade de toda a sociedade.

Água sustentável: Como manter um bem tão precioso?

Uma das medidas da sociedade para a água sustentável são as legislações a respeito do assunto. O Brasil desponta com uma legislação avançada mas um descompasso na aplicação real de seus instrumentos.

A falta de avanço nessas questões barra a possibilidade de uma gestão integrada. Sendo que a falta dessas diretrizes se torna motivo de maior preocupação, quando enfrentamos fatores climáticos de sobre carga ou escassez de chuvas. Independentemente dessas contravenções ter ligação com a ação humana ou não.

“Ações voluntárias, proativas e verificadas por terceira parte de forma independente, com auto regulação privada, parecem ser o conjunto-solução no concernente ao importante papel do setor produtivo nos esforços para a sustentabilidade.“

Citação de Silneiton Favero, que é especialista em Gestão de Recursos Hídricos e Consultor Sênior em Sustentabilidade.

A seguir vamos listar algumas oportunidades para se obter uma água sustentável. Instrumentos que podem ser aplicados desde pequenas casas até empresas de alto consumo.

Águas de reúso

A água de reúso ou residual é a que possibilita seu reaproveitamento em outro fim, normalmente gerada por esgotos residenciais ou de fábricas.

O que se utiliza também é a alta carga de matérias primas presentes nessas águas. Onde o lodo pode ser transformado em fertilizante, por exemplo.

Há uma estimativa que 22% da demanda global de fósforo possa ser gerada pelo tratamento de urina e excrementos humanos. Países como a Suíça exigem a recuperação desse fósforo já em lei.

Em países como a Jordânia, 90% das águas residuais são tratadas para ser utilizada na agricultura.

A perspectiva é que até 2020 o tratamento de águas residuais aumente em 50% nas fábricas e empresas em todo o mundo.

Quando não há outros meios, as águas residuais podem ser tratadas para atender até mesmo a demanda de água potável. A prática é utilizada por alguns países como Namíbia, no continente africano. Assim como Cingapura e San Diego nos Estados Unidos bebem de uma água que foi reciclada com segurança.

Dessalinização

Dessalinização é o processo de retirada de sais da água para torná-la adequada para o uso e consumo. O procedimento vem sendo cada vez mais utilizado e aprimorado, principalmente em regiões de escassez de água doce. Mesmo com custos elevados, comparados a outros meios.

Usina de dessalinização

(AP Photo/Ariel Schalit)

A tecnologia que mais se utiliza para tal é a osmose reversa. Basicamente forçando a água passar por filtros que retiram os sais, representando 65% da água dessalinizada do mundo.

Países como Israel, Arábia Saudita, Kuwait e determinadas regiões da África e do Oriente Médio estão na dianteira no uso dessa forma de potabilização da água. Somados representam 50% da água produzida dessa forma.

Além disso, navios ou mesmo Ilhas, como Fernando de Noronha, que não dispõe de água doce também utilizam a tecnologia.

Na esfera industrial, temos o setor petrolífero que injeta a mesma em poços de produção. A exemplo da Petrobrás que utiliza 1,8 milhão de litros de água por hora nos poços.

A dessalinização tem vistas de ser implantada no nordeste do Brasil em acordos que há anos vem sendo negociados. A finalidade é fornecer água a uma região com recursos hídricos quase nulos.

Um exemplo é Fortaleza que em 2018 iniciou os procedimentos para tentar fechar com algumas das holding espanholas a GS Inima Brasil ou a Acciona Água S/A.

A capital cearense entrou no sexto ano consecutivo de seca. O governo local acredita que até em 2050 o consumo de água vai ultrapassar a capacidade de produção. Fator que culmina na busca por uma água sustentável.

Contudo Silvano Porto, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Cagece (Companhia de Água e Esgoto do Ceará), diz que mesmo com o projeto é necessário buscar meios alternativos, como água de reúso vinda de indústrias e esgoto.

Captação de água da chuva

O reaproveitamento das chuvas faz parte da busca de uma água sustentável.

Piscinões - sistema de drenagem urbana

Para se chegar a essa conclusão basta saber que o processo de armazenamento de água da chuva é simples e tem várias utilidades.

Com um sistema de captação e armazenamento, pode-se utilizá-la para limpeza de casa, lavar carros, regar plantas ou até outros fins com algum tratamento.

No nível governamental o estado de São Paulo tem trabalhado no assunto. A prefeitura de Lorena, por exemplo, fez investimentos em um projeto de captação de água da chuva no valor de 5 milhões de reais. A segunda fase do projeto data de março de 2018.

O projeto não fala sobre reutilização dessa água, mas há vários estudos se desenvolvendo nesse sentido para contornar períodos de seca.

Por fim, temos a água sustentável como discussão central para os próximos anos, devido a constantes indisponibilidades climáticas e a poluição acelerada. Nessa revisão de conceitos não só a tecnologia mas o bom senso pode nos guiar ao bom uso de um bem tão precioso.

E você, faz sua parte quando o assunto é usar a água de maneira sustentável?

Em caso de dúvidas ou sugestões fale com um de nossos especialistas. Nós temos a solução perfeita para você!

Dúvidas? Fale com um Especialista!

Temos um time de especialistas pronto para tirar suas dúvidas e
encontrar a solução ideal para a sua empresa.

Fale com um especialista
Grátis e sem compromisso